Hermó

Espaço de reflexão Hermógenes de Castro & Mello

Deutsch Version hermo@hermo.com.br

Artigo nº 929 - 08/03/2017

Dia da Mulher...

Temos esse terrível hábito americano, enraizado mundo afora, em rotular os dias com alguma homenagem. Do bombeiro ao criador de cães Labrador, da enfermeira à colhedora de morangos de Votuporanga.

Porém chauvinismo cruel é o estúpido Dia da Mulher.

Como se fosse algo a ser destacado como homenagem a um ser humano, na verdade metade da população do planeta.

Criança, lembro de jornal famoso publicava certo "Suplemento Feminino", com matérias idiotas, mais "leves" para mulheres.

A nossa discriminação é potente, inclusive contra nossas companheiras. Contra homens e mulheres de outras etnias. Contra jovens e velhos.

Só não discriminamos milicos raivosos, pois esses atiram e matam. Aplaudimos quando marcham e torcemos quando se matam uns aos outros. E não discriminamos os criminosos, pois esses agem da mesma maneira, atirando. Só lhes causamos horrores quando pegos.

No fundo, o todo se resume a uma prova de força, iniciada na infância, no parquinho em briga pelo uso do balanço.

Nessa fase, normalmente, quem apazigua é uma mulher, mãe ou professora.

Sempre mais pacíficas que nós mancebos bobos desejosos de resolver as coisas no grito ou no braço.

Penso no fundo apenas riem de nós. Até quando criamos essa asneira como o Dia da Mulher.

São assim, ainda bem.

O rosto da jovem atriz inglesa e seu sorriso tortinho demonstra o que de fato deve achar do Dia da Mulher...

Comentários

(envie um comentário)

Seja o primeiro a comentar este artigo.