Hermó

Espaço de reflexão Hermógenes de Castro & Mello

Deutsch Version hermo@hermo.com.br

Artigo nº 1026 - 20/01/2021

Sanduíche Gyro

Por Helena Iaconis Sevastopoulus, de Pátras, Grécia

A vida seguia para Helena e a pequena tailandesa. O senhor advogado era pessoa pouco demandante, sua casa um recinto de exclusão. Raramente recebia alguém.

A única filha radicada nos Estados Unidos de tempos em tempos ligava, na linha no aparelho preto e pesado, que ainda havia na casa. Curiosa, em seu grego já um pouco adaptado ao inglês, perguntava a Helena sobre o bem-estar do pai. E prometia, em uma visita trazer-lhe cosméticos americanos, enaltecia como os melhores do mundo.

Discreta, Helena se abstinha de comentar as conversas da filha do senhor advogado, pois após passar a ligação a ele, verificava serem sempre respostas um tanto curtas do homem para sua filha.

Alguma mágoa passada talvez; ou apenas emoção em ouvir a distante criatura.

Ao fim de uma tarde daquele estranho ano, o senhor advogado a chamou para a varanda e com o olhar um pouco disperso, perguntou:

-"Sra. Helena, estou um tanto envergonhado em pedir isso, porém vou arriscar."

Helena já imaginou algo esdrúxulo como cantar uma antiga canção com ele ou até dividir um copo do potente vinho, o que jamais havia pedido.

Todavia surprendeu-se quando o causídico arriscou:

-" Existe uma pequena loja de assado gyro, servem com pão pita e molho de coentro, além de tomates picados. É um lugar até tanto, digamos, menos asseado que deveria para a venda de sanduíches.. Mas eu senti esse desejo. Poderia pedir à moça tailandesa buscar? Logo três, assim não precisam fazer o jantar. São generosos no tamanho. Comeremos somente os gyros."

De fato incomum, alguém da estirpe do nobre doutor pedir algo tão mundano, comida de rua com digamos, baixo nível, pensou Helena.

Pegou a bolsa, chamou sua já amiga e seguiram a comprar os acepipes simples.

A loja conhecia, um pouco mal-cuidada, mas o cheiro da carne no grande espeto rotativo, misto de frango, boi e carneiro era atraente. Os pães pita bem frescos, inegável. E os molhos, assim os legumes picados, com bom aspecto.

Pediu quatro, quem sabe o doutor em seu desejo não se importava com mais um, na sua querida varanda?

Caminharam rápido para a guloseima não esfriar. Entregaram ao senhor advogado, com algum requinte.

Em uma bandeja maior com um bonito pano, a pequena garrafa de cristal com azeite ao lado, o colorido guardanapo e os dois enrolados gregos, ainda fumegantes.

Após se afastarem, a pequena tailandesa fez o sinal de positivo, a perceber o doutor apreciara muito o gesto, principalmente a simpática forma de servir. E dobrado.

Refugiaram-se na cozinha a apreciar os seus gyros. Momentos de alguma satisfação. Adiante iniciou o doutor a cantar, estava feliz.

Para conhecer sobre comida das ruas da Gréciam sigam abaixo.

O gyro ou churrasquinho grego como aqui chamamos, é grande pedida da comida daquele antigo país.

O mais tradicional é apenas de carneiro, feito na horizontal e na grelha com carvão. Mas o giratório, que dá nome, é o mais comum.

Comentários

(envie um comentário)

Seja o primeiro a comentar este artigo.